BEM-VINDO AO FÓRUM
DO CONGRESSO NACIONAL DO PSDB

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

A política externa brasileira deve ter como objetivo maior a promoção do desenvolvimento do País no plano econômico, social e cultural. Sua formulação precisa ter em conta uma análise rigorosa e isenta de preconceitos ideológicos ou partidários, das oportunidades que se apresentam na conjuntura internacional para a promoção dos interesses nacionais. Na execução da política externa não podemos abrir mão da competência e da autoridade profissional dos quadros do Itamaraty, cuja gestão há de observar os princípios da meritocracia, sem favoritismo ou caça às bruxas.

O Brasil é um país em desenvolvimento, embora já ostente invejáveis padrões de excelência em muitas áreas do nossa economia. Nosso relacionamento internacional há de ser amplo, universal, sem exclusões ou alinhamentos automáticos. Devemos buscar sempre a inserção de forma competitiva nos fluxos mundiais de comércio, investimento e tecnologia.

A vocação universalista de nossa política externa não contradiz a prioridade que devemos dar à América do Sul como cenário imediato da nossa atuação. Pelo contrário, a integração com nossos vizinhos no âmbito do Mercosul e também da Aliança para o Pacífico pode ser uma plataforma poderosa para nossa inserção no mundo. Nossa voz na América Latina há de ser sempre no sentido de estimular o diálogo e valorizar a democracia.

A atuação do Brasil no mundo deve valorizar o direito internacional, o multilateralismo, a paz, o desenvolvimento sustentável e os direitos humanos: esses são os traços mais marcantes da nossa identidade internacional que devemos preservar e aperfeiçoar.

O PSDB praticou essa linha de política externa nos governos de Fernando Henrique e na atuação de nossos chanceleres no governo Temer. Foi essa política que defendemos em nossas campanhas presidenciais e é a partir dela que atuamos na oposição ontem e como devemos atuar hoje.

*Por diretório Estadual de São Paulo.

0
avatar
  Subscribe  
Notify of